Microbioma intestinal na síndrome dos ovários policísticos

Postado em Atualizado em

síndrome dos ovários policísticos

Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) é uma das patologias endócrinas mais prevalentes nas mulheres em idade reprodutiva com índices variando entre 1 a 8%, dependendo da população e critérios utilizados no diagnóstico. 

Caracteriza-se por irregularidade menstrual persistente, hiperandrogenemia clínica e/ou laboratorial e morfologia policística ovariana. entre os achados metabólicos notam-se obesidade, resistência à insulina e risco de diabetes tipo 2. A resistência à insulina aparece em mais de 50% dos casos. Ainda não se definiu uma etiologia única, sendo mais plausível a origem multifatorial agregando fatores genéticos, meio ambiente intrauterino. Possivelmente uma alteração no microbioma intestinal pode ter papel também. 

SOP e a relação com traços metabólicos

Alguns estudos prévios a este publicado em 17 novembro 2020 no The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, órgão da Academia de Oxford, demonstraram redução na diversidade e composição do microbioma intestinal em algumas etnias de mulheres com Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP). Principalmente no filos Bacteroidetes Firmicutes. Ainda não se tinham dados consistentes também sobre microbioma de mulheres em idade reprodutiva tardia, de modo que os objetivos do estudo foram:

  • testar se o microbioma intestinal está relacionado com SOP em mulheres no fim de sua idade reprodutiva;
  • investigar se as mudanças no microbioma intestinal tem correlação com mudanças nos parâmetros da SOP.

 O desenho do estudo se deu com aplicação de questionários para pacientes da Finlândia aos 31 anos de idade e nova abordagem com questionários, exames clínicos e coleta de exames de fezes aos 46 anos de idade para follow up.

No follow up aos 46 anos eram realizados:

  • Exame clínico
  • Coleta de amostra de sangue e fezes
  • Teste de Tolerância Oral à Glicose
  • Medidas Antropométricas

Concluindo o trabalho algumas novidades apareceram:

  • Não houveram diferenças entre IMC de mulheres com e sem SOP nas duas etapas. 
  • Não houveram diferenças significativas entre os microbiomas intestinais de mulheres com e sem SOP nos dois momentos investigados. 
  • Foram encontradas diferenças significativas entre os grupos de mulheres com SOP dependendo de seu status metabólico.

Sugere-se então que a manutenção de uma saúde metabólica é fundamental para o bem-estar no futuro desses pacientes e novos estudos com avaliação funcional desse microbioma intestinal são necessários para corroborar a ideia da etiologia relacionada ao microbioma intestinal na SOP. 

Autor(a):

João Marcelo Martins Coluna

Médico Ginecologista e Obstetra formado pela Universidade Estadual de Londrina • Mestrado em Fisiopatologia pela Unoeste (Universidade Oeste Paulista) • Docente da Unoeste (Presidente Prudente) – departamento materno infantil • Preceptor Residência Médica Hospital Regional Presidente Prudente – SP • Plantonista Ginecologia e Obstetrícia Hospital Regional Presidente Prudente • Plantonista Ginecologia e Obstetrícia Hospital Estadual Dr. Odilo Antunes Siqueira (Presidente Prudente – SP) • Plantonista Ginecologia e Obstetrícia Santa Casa de Misericórdia de Adamantina
Plantonista Socorrista Santa Casa de Misericórdia Presidente Prudente • Médico Regulador ambulatorial município de Dracena – SP • Médico Preceptor ambulatorial UNIFADRA (Dracena – SP) • Ginecologista do serviço ambulatorial de Narandiba (SP) • Ginecologista e Obstetra do serviço ambulatorial de Pirapozinho (SP).

Referência bibliográfica:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s