DIU hormonal pode ser uma nova opção à “pílula do dia seguinte”

Postado em Atualizado em


Sabemos que o dispositivo intrauterino (DIU) de cobre pode ser usado como um método anticoncepcional de emergência até o quinto dia da exposição sexual desprotegida, com um índice de falha menor do 0,1%. Já a pílula do dia seguinte possui uma taxa de falha maior, aproximadamente 3%, número que pode aumentar se a pílula for utilizada de forma frequente e consecutiva. Porém, até o momento, não havia dados suficientes para embasar o uso do dispositivo intrauterino hormonal também como método de emergência, e muitas vezes as pacientes não rejeitam o uso do DIU de cobre pelo aumento do fluxo menstrual e cólicas excessivas.

DIU hormonal pode ser uma nova opção à “pílula do dia seguinte”

Novas evidências

Nesta semana, o New England Journal publicou um ensaio clínico que comparou a eficácia de ambos dispositivos: 52 mg de levonorgestrel e Cobre 380A como método de anticoncepção de emergência.

O estudo foi conduzido em seis clínicas em Utah e incluiu mulheres que procuraram anticoncepção de emergência após pelo menos um episódio de relação sexual desprotegida 5 dias antes da apresentação e concordaram em colocar um DIU. Designamos participantes aleatoriamente em uma proporção de 1: 1 para receber um DIU de 52 mg de levonorgestrel ou um DIU de cobre T380A. O desfecho primário foi um teste de gravidez de urina positivo 1 mês após a inserção do DIU, ou quando esse não estava disponível, registros de saúde para determinar o estado de gravidez.

Resultados

Entre os 355 participantes designados aleatoriamente para receber DIU de levonorgestrel e 356 designados para receber DIU de cobre. Destes, 290 no grupo do levonorgestrel e 300 no grupo do DIU de cobre fizeram um teste de gravidez de urina de 1 mês. As taxas de gravidez foram de 1 em 317 (0,3%; intervalo de confiança de 95% [IC], 0,01 a 1,7) no grupo de levonorgestrel e 0 em 321 (0%; 95% CI, 0 a 1,1) no grupo DIU de cobre; a diferença absoluta entre os grupos em ambas as análises foi de 0,3 pontos percentuais (IC 95%, -0,9 a 1,8), consistente com a não inferioridade do DIU de levonorgestrel em relação ao DIU de cobre. Eventos adversos que resultaram em participantes que procuraram atendimento médico no primeiro mês após a colocação do DIU ocorreram em 5.

Conclusões

Apesar do FDA ainda não aprovar o DIU hormonal como método de emergência, o DIU de levonorgestrel não foi inferior ao DIU de cobre para esse fim. Além disso, ao contrário da “pílula do dia seguinte”, o DIU hormonal parece não diminuir sua eficácia se introduzido em mulheres de IMC elevado.

Portanto, este método é uma excelente opção a ser oferecida a paciente até o quinto dia de exposição sexual desprotegida, e garante não só uma alta eficácia emergencial, como também a longo prazo.

Autor(a):

Juliana Olivieri

Graduada em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) ⦁ Ginecologista e Obstetra ⦁ Pós-graduada em Endocrinologia Feminina e Climatério pelo Instituto Nacional de Saúde da Mulher da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira(IFF/Fiocruz)

Referências bibliográficas:

  • David K. Turok, M.D., Alexandra Gero, M.P.H., Rebecca G. Simmons, Ph.D., Jennifer E. Kaiser, M.D., Gregory J. Stoddard, M.P.H., Corinne D. Sexsmith, M.S., Lori M. Gawron, M.D., and Jessica N. Sanders, Ph.D, Levonorgestrel vs. Copper Intrauterine Devices for Emergency Contraception. The New England Journal of Medicine, January 28, 2021. doi: 1056/NEJMoa2022141

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s